Plano de Ensino

Turma 1200 - Introdução ao Estudo da Enfermagem - 2011/1

Curso: Enfermagem

Período: 1

Professor(es): GUIOMAR VIRGINIA VILELA ASSUNÇÃO DE TOLEDO

Carga Horária: 34 h

Ano/Semestre: 2011/1

Objetivo

Formar enfermeiros generalista, através de uma perspectiva humanística-cristã, capazes de assistir ao indivíduo no ciclo evolutivo, tanto em estado de saúde, como em episódios de doença inserido em seu ecossistema, familiar e comunitário.

Ementa

A disciplina deverá orientar o acadêmico nas questões históricas da enfermagem, desenvolvendo censo crítico e reflexivo do profissional, frente às questões históricas que influenciam e que envolvem a profissão e o ser humano.  


Competências

Ao final do estudo desta disciplina o aluno deverá ser capaz de conhecer o desenvolvimento histórico das práticas de saúde, a história da enfermagem no Brasil e no mundo. Conhecer as teorias de enfermagem, entender como se deu o processo de profissionalização da enfermagem, as entidades de classe e a importância de cada uma delas.

Habilidades

Conhecer o conceito de enfermagem, a partir de uma visão histórica;
Fazer uma retrospectiva das práticas de saúde e das suas influências no processo de cuidar;
Conhecer o desenvolvimento histórico da enfermagem e seus avanços como profissão;
Ter noções sobre as principais teorias de enfermagem, sabendo qual sua importância e finalidade no processo de cuidar;
Conhecer as entidades de classe e a importância de cada uma delas;
Fundamentar a Enfermagem e as atribuições do profissional enfermeiro.

Programa

Apresentação do Professor, Plano de Aula e Conteúdo Programático. Critérios de Avaliação e Objetivos da disciplina. Orientações quanto as Atividades Semipresenciais.
O que é saúde? O que é Enfermagem?
História da saúde. Conceitos
Evolução histórica da enfermagem no mundo: período instintivo, sacerdotal, medieval, contemporâneo e terceiro milênio;
Datas Importantes para Enfermagem no Brasil;
História da enfermagem/ Florence Nightingale
Primeiras Escolas de Enfermagem
Trabalho: Entrevista com enfermeiros da rede.
História da enfermagem no Brasil/ Ana Nery
Primeiras escolas de enfermagem no Brasil
Teoria da motivação de Maslow
Seminários: Teorias de Enfermagem
Instituições de Classe
Universidades/Especializações/Residência

Metodologia

As aulas serão desenvolvidas de forma expositivo-dialogadas, com desenvolvimento de atividades individuais e em grupo, utilizando-se a metodologia da problematização e solução de problemas, partindo-se da lógica de compreensão dos alunos e da busca de material teórico para fundamentar a construção da aprendizagem.
Aulas expositivas com multimídia, grupos de estudo e discussão, trabalhos em grupo, seminários, atividades interativas, leitura interpretativa, visita a uma instituição de saúde e entrevista com uma enfermeira.
Atividades semipresenciais: As atividades semipresenciais serão realizadas através da interação professor e aluno, quando serão desenvolvidas as seguintes abordagens temáticas: resumos e resenhas de artigos e estudos dirigidos   através utilização de um sistema Web, com o cadastro do aluno na respectiva disciplina e o envio da atividade solicitada dentro do período pré-estabelecido no conteúdo programático.

Avaliação

O Grau 1 (G1) refere-se à construção do conhecimento realizada no primeiro bimestre letivo e terá o peso um, sendo expressa numa escala numérica de zero (0) a dez (10). Para calcular o G1 será realizado o somatório dos seguintes itens:

G1: Prova teórica: valor 7.5 – contendo questões dissertativas e objetivas;
Trabalho: valor 2,0: Visita á uma Unidade de Saúde e entrevista com um (a) enfermeiro (a). A atividade deverá ser realizada em dupla e apresentada pela mesma em sala de aula, e também deverá ser realizado e um relatório descritivo da experiência vivida.
Trabalho – valor 0.5: Produção um texto com mínimo de 1 página e máximo de 2, com o tema: “Florence Nightingale e Ana Nery, o que as torna pessoas em comum”).

O Grau 2 (G2) refere-se à totalidade das competências construídas durante todo o semestre com peso dois, sendo expressa numa escala numérica de zero a dez. Para calcular o G2 será realizado o somatório dos seguintes itens:
G2: Prova teórica: valor; 7,0 – contendo questões dissertativas e objetivas;
Trabalhos: 3,0 – Seminário apresentado em grupo sobre: Teorias de Enfermagem
O grau final do semestre resultará da média ponderada entre os G1, com peso um, e G2, com peso dois. Será considerado aprovado o aluno que, tendo 75% de freqüência na disciplina, alcançar, na média ponderada entre os dois graus, G1 e G2, nota igual ou superior a 6,0 (seis pontos).
O aluno que obtiver aproveitamento inferior a seis (6,0) na média ponderada entre os dois graus, terá o direito a realizar prova cumulativa para substituir o grau. Para fins de aprovação da média final, o novo grau terá o mesmo peso do grau substituído. Na substituição não haverá inclusão de notas relativas às atividades práticas, sendo a prova com valor máximo de 10,0 (dez).

Bibliografia

Básica

GEORGE,JB E cols. Teorias de Enfermagem.Os Fundamentos á Pratica Profissional.4ed.Porto Alegre:ARTMED,1995.

GEOVANINI,T et al.História da Enfermagem Versões e Interpretações.2 ed.RJ: REVINTER, 2002

PASSOS, S.C.V. et al.Técnicas Básicas de Enfermagem.3ed.São Paulo.Martinari.2009

PEDROSO,M.Introdução ao estudo da enfermagem.CANOAS: ED.Ulbra.2004.

POTTER, P. A.; PERRY, A. G. Fundamentos de enfermagem: conceitos, processo e prática. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

Complementar

OGUISSO, T. Trajetória histórica e legal da enfermagem. Barueri,SP:Manole,2005( Série Enfermagem);

TIMBY, B. K. Conceitos e habilidades fundamentais no atendimento de enfermagem. 6ed.Porto Alegre: ARTMED, 2001.