Turma 1932 - Análises Citológicas e Parasitológicas - 2019/1

Imprimir

Curso: Farmácia

Período: 9

Professor(es): Marcos Rodrigues Cintra

Carga Horária: 68 h

Ano/Semestre: 2019/1

Objetivo

O Curso de Farmácia objetiva formar profissional de saúde com capacitação técnica e habilitado ao exercício da Farmácia, preparado para integrar uma equipe de saúde multiprofissional, desenvolvendo assistência farmacêutica e atenção farmacêutica nas diversas áreas do seu âmbito profissional.

Ementa

Competências

Identificar e diferenciar por meio da morfologia, os helmintos e protozoários intestinais, sanguíneos e cavitários causadores de doenças humanas e a partir desta identificação, estabelecer o diagnóstico laboratorial. Ainda, avaliar as estruturas presentes nos líquidos corporais, bem como, analisar possíveis alterações bioquímicas que podem, em conjunto com as estruturas encontradas, caracterizar no paciente, situações de normalidade ou de alterações patológicas.

Habilidades

- Compreender e realizar procedimentos de coleta, transporte e conservação de amostras biológicas (fezes, urina) para análise laboratorial;
- Executar os métodos e técnicas para o diagnóstico laboratorial de infecções parasitárias bem como interpretar os resultados e fazer a correlação clínico-laboratorial;
- Qualificar e quantificar estruturas presentes na urina estabelecendo a correlação clínico-laboratorial.

Programa

TEÓRICO:
1. Classificação taxonômica dos principais grupos de parasitos.
2. Protozoologia: aspectos morfológicos e diagnóstico laboratorial.
2.1 Entamoeba histolytica, Entamoeba dispar, Entamoeba coli, Endolimax nana, Giardia intestinalis, Trichomonas vaginalis.
2.2 Toxoplasma gondii, Leishmania sp, Trypanosoma cruzi, Plasmodium sp.
3. Helmintologia: aspectos morfológicos e diagnóstico laboratorial.
3.1. Platelmintos: Taenia solium, Taenia saginata, Hymenolepis nana, Schistosoma mansoni.
3.2. Nematelmintos: Enterobius vermicularis, Ascaris lumbricoides, Ancylostoma duodenale, Ancylostoma braziliense, Ancylostoma caninum, Necator americanus, Strongyloides stercoralis, Wuchereria bancrofti.
4. Caracterização dos ovos e larvas de Nematodas pela análise parasitológica de fezes (Ascaris lumbricoides, Enterobius vermicularis, Ancilostomídeos, Strongyloides stercoralis)
5. Caracterização dos cistos de protozoários intestinais pela análise parasitológica de fezes (Giardia intestinalis, Entamoeba histolytica/dispar, Entamoeba coli, Iodamoeba bütschlii, Endolimax nana).
7. Caracterização dos ovos de Cestodas (Taenia solium, Taenia saginata, Hymenolepis nana)
8. Procedimentos para detecção de parasitos sanguíneos: gota espessa, concentração e distensão sanguínea (Plasmodium sp., Trypanosoma cruzi, Wuchereria bancrofti)
9. Procedimentos para detecção de parasitos teciduais - Leishmaniose Tegumentar Americana (Leishmania sp) e Leishmaniose Visceral Americana (Leishmania chagasi)
10. Procedimentos para detecção de parasitos do sistema urogenital (Trichomonas vaginalis)
11. Estudo de métodos imunológicos usados no diagnóstico laboratorial de parasitoses (Giardia intestinalis, Entamoeba histolytica/dispar, Toxoplasma gondii, Leishmania sp, Trypanosoma cruzi).
12. Estudo da urina com ênfase para a  formação e composição, testes de avaliação da função renal, exame físico e químico da urina, análise do sedimento urinário.

PRÁTICO:
1. Exame macroscópico das fezes
2. Exame microscópico das fezes
2.1 Exame direto a fresco das fezes, com preparação de salina
2.2 Concentração e isolamento de larvas de nematodas das fezes (Método de Baermann, modificado por Moraes, 1948).
2.3 Técnica de Willis, 1921
2.4 Técnica de Faust e Col., 1938
2.5 Técnica de Lutz, 1919 (Hoffman, Pons & Joner, 1934)
2.6 Técnica de Ritchie, 1948
2.7 Método da fita de celofane adesiva e transparente (Método de Graham) para pesquisa de Enterobius vermicularis (Brooke, Donaldson & Mitchell, 1949)
3. Métodos para pesquisa de parasitos no sangue: exame a fresco e preparações coradas.
4. Procedimento de coleta de urina e separação por meio de centrifugação para exame de sedimento urinário (EAS);
5. Exame físico e químico da urina (fita reagente);
6. Análise do sedimento urinário.

Metodologia

Aulas teóricas: expositivo-dialogadas objetivando promover a participação dos acadêmicos por meio de questionamentos, conhecimentos e vivências. Serão desenvolvidas atividades em grupo para estimular a capacidade de interpretação e exposição tanto escrita quanto oral do conhecimento adquirido.

Aulas práticas: expositivo-dialogadas com demonstração e/ou realização dos métodos laboratoriais de forma individual ou em grupo e observação microscópica de elementos parasitários/urinários presentes em laminário e material biológico humano.


Durante o semestre, serão realizadas duas web atividades abrangendo questões e produção de textos a partir de assuntos ou artigos propostos pelo professor, sendo estas disponibilizadas ao aluno por meio de um sistema web. Na primeira Web atividade os alunos pesquisarão o significado de termos importantes para a compreensão da dinâmica da transmissão das doenças e na segunda web o tema proposto é Dismorfismo eritrocitário.

Avaliação

As avaliações ocorrem conforme preconizado pelas diretrizes institucionais.  Composta das seguintes etapas e respectivas pontuações:
a) Avaliação G I => Prova teórico-prática abrangendo o conteúdo do primeiro bimestre; confecção de um atlas sobre protozoários e helmintos; prova prática. Esta avaliação têm peso 1.

           - Prova teórico-prática = 0 - 6,0.
           - Trabalho = 0 - 2,0.
           - Prova prática = 0 – 2,0.


b) Avaliação G II: Prova teórico-prática abrangendo o conteúdo do primeiro e segundo bimestre; realização de um trabalho sobre linfa e sistema linfático; prova prática. Esta avaliação têm peso 2.
     
         - Prova teórico-prática = 0 - 6,0.
         - Trabalho = 0 - 2,0.
         - Prova prática = 0 - 2,0

c) Substituição de Grau
         - Será constituída de 01 prova teórico-prática individual e escrita de todo o conteúdo abordado no semestre sendo a pontuação => 0 - 10,0.

Bibliografia

Básica

DE CARLI, G. A. Parasitologia Clínica: Seleção de métodos e técnicas de laboratório para o diagnóstico das parasitoses humanas. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2011. 906p.

HENRY, J. B. Diagnósticos clínicos e tratamento por métodos laboratoriais. 20. ed. São Paulo: Manole, 2008. 1734p.

NEVES, D. P.; MELO, A. L.; LINARDI, P. M.; VITOR, R. W. A. Parasitologia Humana. 12. ed. São Paulo: Atheneu, 2011. 546p.

STRASINGER, S. K. Uroanálise e Fluidos Biológicos. 3. ed. São Paulo: Ed. Premier, 2000.

Complementar

CIMERMAN, B.; FRANCO, M. A. Atlas de Parasitologia - Artrópodes, Protozoários e Helmintos. São Paulo: Editora Atheneu, 2005. 105p.

MARKEL, E. K.; JOHN, D. T.; KROTOSKI. W. A. Parasitologia médica. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003. 447p.

MILLER, O. Laboratório para o clínico. 8. ed. São Paulo: Atheneu, 1999. 607p.

RAVEL, R. Laboratório clínico: aplicações clínicas dos dados laboratoriais. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997, 616p.

REY, L. Bases da parasitologia médica. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. 390p.

Material Digital

Imprimir
Selo da responsabilidade social
CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS
Avenida Teotônio Segurado 1501 Sul Palmas - TO CEP 77.019-900
Fone: (63) 3219 8000