Publicado em: 09/07/2019 14:36 - Atualizado em: 09/07/2019 16:31

Engenharia Civil: força motriz do desenvolvimento


Por Isabella Santa Rosa - Estagiária de Jornalismo

É a Engenharia Civil que projeta e constrói nossas cidades e impulsiona o desenvolvimento da sociedade, e assim como suas construções, a Engenharia Civil mostra resistência em tempos de crise. Usada como indicador de crescimento do país e com diversas opção de carreira, a formação na área é um estímulo para destaque no mercado de trabalho, como nos conta a professora e coordenadora do curso no Ceulp/Ulbra, Kenia Mendonça.

 

Ceulp/Ulbra: Qual o grande diferencial do curso de Engenharia Civil do Ceulp/Ulbra?

Kenia: O curso de engenharia aqui do Ceulp/Ulbra tem o grande diferencial de ter sido o primeiro curso do Tocantins, então hoje a gente conta com mais de mil egressos e eles estão espalhados tanto no Tocantins quanto no Brasil. Aqui em Palmas, por exemplo, na maioria dos órgãos que você vai, na maioria das empresas, das construtoras, dos laboratórios, estão egressos daqui. No nosso curso quase todos os professores têm no mínimo o mestrado, a grande maioria deles também têm atuação no mercado, então a gente traz essa realidade pra cá. Nós temos alguns diferenciais que são os nosso laboratórios, temos um laboratório de recursos hídricos, laboratório de mecânica dos solos, laboratório de materiais, que a gente usa nas disciplinas de tecnologia da construção, tecnologia do concreto e na disciplina de materiais de construção, que é uma disciplina ainda do segundo período, para que o aluno já comece a ter esse contato. No ano passado a gente adquiriu um kit mola, para diferenciar um pouquinho as nossas aulas de estruturas, ele é usado hoje nas universidades dos Estados Unidos, é um jeito de você mostrar não só com software, mas mostrar fisicamente, através da simulação com as peças os nós e os deslocamentos, para que o aluno consiga ver e entender isso. Nós também utilizamos os laboratórios de computação, onde temos os softwares de geoprocessamento, que usamos para as aulas de topografia e no nosso Escritório Modelo nós temos os softwares de uso recorrente no mercado, como o pacote Eberick e GVSIG.

 

Ceulp/Ulbra: O que que você pode dizer para o aluno que está interessado em fazer Engenharia Civil?

Kenia: Engenharia Civil é a força motriz da sociedade, onde para qualquer obra de infraestrutura que você precise, que seja um aeroporto, uma linha de transmissão, uma barragem de uma usina hidrelétrica, um hospital, uma escola, uma casa, tudo você precisa de um engenheiro civil, tanto para projetar quanto para executar, para fiscalizar e para fazer as obras de manutenção. O engenheiro civil é o primeiro profissional que realmente precisa-se. Aqui em Palmas hoje, se a gente olhar de cima e ver na cidade onde estão os engenheiros civis, eu posso te dizer que tem um engenheiro civil em quase todas as empresas, porque você precisa não só nas construtoras, você tem engenheiro civil lá no aterro sanitário, nas estações de tratamento de água e esgoto, nas empresas de instalações elétricas, fazendo manutenções em hospitais, em escolas, em órgãos públicos, fazendo projetos e executando obras de rodovias, então eu considero a formação do engenheiro civil uma formação muito ampla, quando você sai do curso pode fazer especializações em gestão e pessoas, em gestão econômica, em gestão de projetos, aqui a gente tem todo esse aprendizado.

 

Ceulp/Ulbra: Além do kit mola, existe alguma aparelhagem diferente nos laboratórios?

Kenia: Na verdade, os nossos laboratórios, tanto de materiais e estruturas quanto o de solos, tem todos os aparelhos que o aluno precisa para apoiar na aprendizagem, por exemplo o de solos tem toda a aparelhagem que você precisa para apoiar uma obra de terraplanagem, uma obra de pavimentação.  A gente tem nos laboratórios todos os equipamentos para fazer controle de qualidade de argamassa, de concreto, e nossos alunos nas aulas de tecnologia da construção e tecnologia do concreto fazem ensaios de arrancamento de argamassa, ensaios de aderência e de resistência do concreto.

 

Ceulp/Ulbra: Como funciona o Escritório Modelo de Engenharia Civil?

Kenia: Nós temos uma seleção e oito alunos são escolhidos todo semestre para trabalhar lá efetivamente. O escritório é coordenado por um professor do nosso curso, mestre e também arquiteto, e ele orienta os estudantes no desenvolvimento de diversos projetos, desde um projeto arquitetônico básico, à leitura do projeto arquitetônico para se fazer todos os projetos complementares, que são tarefas do engenheiro civil. São desenvolvidos projetos de instalação elétrica, projetos hidráulicos, projetos sanitários e projetos estruturais, além disso eles desenvolvem o orçamento da obra, tanto o cronograma físico-financeiro, quanto vai gastar a cada mês ou a cada etapa da obra, quanto vai custar a obra como um todo.

O Escritório é aberto a comunidade, inclusive com vários projetos conjuntos com o curso de Arquitetura e Urbanismo, e os serviços podem ser utilizados tanto por pessoa física quanto por jurídica, desde que com comprovação de falta de condições de pagamento. Já atendemos igrejas e instituições filantrópicas, já fizemos várias vistorias, elaboração de projetos de baixo custo para pessoas de baixa renda, habitações de interesse social, entre outros.

 

Ceulp/Ulbra: Pensando no estudante que vai ingressar agora, o que você tem a dizer sobre o curso de Engenharia Civil?

Kenia: Eu sou meio suspeita, sou apaixonada mesmo por Engenharia Civil, e é como eu falei anteriormente, a Engenharia é a força motriz do desenvolvimento, não há como ter evolução se você não tem aeroporto, estrada, escola, hospital, pontes, linhas de transmissão de energia, usinas elétricas, e em todas essas obras você precisa de um engenheiro civil, para projetar, executar, calcular, acompanhar a obra e para mantê-la depois, então eu considero que quem está escolhendo a profissão de engenharia civil está escolhendo uma profissão muito promissora, desde que a pessoa seja esforçada, estude, ela não vai ficar sem emprego, porque tem muito a ser feito, nós somos um país ainda em construção e temos exemplos de egressos nosso que estão tocando obras de usina hidrelétrica em Rondônia, um foi aprovado em concurso da Sabesp, em São Paulo, temos também o exemplo do engenheiro Fernando Bastos, que esteve aqui na nossa última aula magna de 15 anos de formada a primeira turma, que hoje é gerente de obras do Grupo Andrade Gutierrez, e durante o seu depoimento ele comentou que saindo aqui do Ceulp/Ulbra nunca se sentiu diminuído em relação a nenhum outro egresso de uma outra Universidade de ponta do Brasil, ele considera que aqui ele recebeu uma formação sólida e que deu a ele a chance de hoje estar trabalhando em uma linha de transmissão na Amazônia. 

 

Ceulp/Ulbra: A Engenharia Civil está em praticamente tudo, como o curso trabalha com a preocupação ambiental?

Kenia: Nós temos a disciplina de impacto ambiental e tentamos ter esse viés da sustentabilidade em todas as nossas disciplinas, porque se você está trabalhando com obras hoje a primeira coisa que você tem que fazer é ter um licenciamento ambiental, como aqui nós temos as disciplinas de rodovias e de várias obras de terra, e a maioria delas tem esse impacto, tentamos tratar do assunto em todas elas. Nós temos TCCs voltados para esse assunto, muita gente estuda a parte de tratamento de esgoto, temos hoje uns 3 ou 4 mestres em engenharia ambiental, então não deixa de ser um assunto recorrente aqui tanto a parte de segurança do trabalho quanto de impacto ambiental, são assuntos que a gente tenta tratar em diversas disciplinas ao longo do curso.

 

 

Ceulp/Ulbra: Qual a área mais comum que os egressos de Engenharia Civil do Ceulp/Ulbra costumam seguir?

Kenia: O nosso curso é bem generalista, mas hoje temos muitos alunos trabalhando na área de saneamento, muitos alunos trabalhando na área de projetos e outros na área de Construção Civil, em obras verticais, hoje eu poderia te dizer rapidamente 4 obras de prédios que estão sendo tocados por engenheiros formados no Ceulp. A construção civil é uma área que chama muito, porque aqui na instituição quase todos os nossos alunos fazem estágio durante a formação, não só o estágio supervisionado, mas conseguem ao longo do curso fazer o estágio extracurricular, e a maioria deles saem empregados depois de formados.

 

Ceulp/Ulbra: Em questão de pesquisa e extensão, como ela acontece no curso?

Kenia: A gente tem alguns trabalhos no Programa de Iniciação Científica e Tecnológica (Proict), temos um professor em engenharia de águas que trabalha a parte de bombas nesses estudos, temos uma professora que pesquisa assuntos de saneamento e temos uma linha de pesquisa forte que é estruturas, com vários TCCs na área, principalmente porque nós temos laboratório específico. Hoje essa parte de adições de materiais ao concreto, tivemos vários TCCs adicionando vermiculita, adicionando cacos de vidro, adicionando pneus, a gente tem vários trabalhos aqui sobre a adição de concreto para a análise de resistência. Na área de Geotecnia o pessoal também faz muitos ensaios, onde estuda-se a compactação de solos a resistência melhorada de solo com adição de diversos materiais, então temos muitas dessas pesquisas aqui. 

 


Kenia Parente Lopes Mendonça possui graduação em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1993), é especialista em Saneamento Ambiental pela Fundação Universidade do Tocantins (2003), Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental da Universidade Federal do Tocantins, com início em março de 2017, e Sócia-proprietária da empresa SIG-Serviços de Infraestrutura e Geotecnia Ltda. Coordenadora do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário Luterano de Palmas desde 2016.

Selo da responsabilidade social
CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS
Avenida Teotônio Segurado 1501 Sul Palmas - TO CEP 77.019-900 Caixa Postal nº 85
Fone: (63) 3219 8000