Publicado em: 08/11/2019 11:42

Saúde bucal de comunidades indígenas do Tocantins é destaque em Jornada Científica

O trabalho do acadêmico do Ceulp/Ulbra também foi reconhecido em evento internacional


Por Raabe Andrade - Estagiária de Jornalismo

Buscando incentivar a pesquisa, há dezenove anos o Centro Universitário Luterano de Palmas promove a Jornada de Iniciação Científica. Este é um evento que oportuniza a apresentação dos resultados obtidos pelos alunos em suas produções científicas. Além disso, os trabalhos são julgados por uma comissão avaliadora e três em cada uma das áreas do conhecimento são premiados.

 

Este ano, o aluno Marlon Brendo Benigno, do 8º período de Odontologia conquistou o primeiro lugar na categoria Saúde. Seu trabalho “Análise parcial da condição básica de saúde bucal da população indígena residente nas aldeias do estado do Tocantins” tem despertado bastante atenção, pois foi já premiado em outros concursos, inclusive no I Congresso Internacional Científico Odontológico do Tocantins.

 

Seu trabalho parte da sua experiência com um projeto de Pesquisa do curso, direcionado à população indígena. Todos os anos, os alunos se deslocam até aldeias do estado do Tocantins, onde realizam procedimentos odontológicos e coletam dados sobre a saúde bucal daquela população. “Este ano nosso projeto de pesquisa levou atendimento odontológico aos pacientes em Itacajá. Atendemos 58 pacientes, realizando procedimentos como restaurações e cirurgias (extrações dentárias)”, explica Marlon. Mas tão, ou mais importante que esses procedimentos, é a coleta de dados epidemiológicos, nos quais se baseia o trabalho do acadêmico.

 

“Nosso estudo buscou avaliar a condição de saúde bucal de uma população indígena residente no estado do Tocantins, através de índices que qualificam a saúde oral destes indivíduos, avaliando a presença de cáries, dentes perdidos, uso e necessidade de próteses odontológicas, presença de lesões na mucosa oral, além de um questionário sociodemográfico e econômico”, relata Marlon. A importância desse trabalho se dá principalmente pela dificuldade em encontrar dados consistentes sobre a saúde bucal indígena no Brasil. “Existem revisões sistemáticas que nos mostram que a maior parte dos estudos epidemiológicos com saúde bucal de indígenas se concentram apenas no Parque Nacional Indígena do Xingu, demonstrando, consequentemente, apenas uma realidade local, e não nacional”, expõe o acadêmico.

 

Dessa forma, o estudo se afirma como um importante documento científico, sobre a realidade da condição de saúde bucal dos indígenas do Tocantins. Também contribui para a construção desse diagnóstico em nível nacional, já que via de regra, a Odontologia trabalha apenas com os levantamentos da Política Nacional de Saúde Bucal, o projeto SBBrasil. Porém, a sua última atualização foi em 2010, e nesta ocasião, além de avaliar poucos índios, utilizou uma amostra que se concentrava majoritariamente na área urbana.

 

 O feito ganha ainda mais valor, tendo em vista a dificuldade de acesso às comunidades indígenas. Marlon explica quais são os procedimento que os pesquisadores precisam seguir: “Eticamente é um procedimento complexo trabalhar com uma população indígena. Pois, conforme a resoluções de lei (como a 466 de 2012) precisamos de uma apreciação e aprovação do sistema CEP e CONEP para trabalharmos com esta amostra, (o que nós temos), o que leva um certo tempo de análises documentais. Quando nós vamos, sempre somos acompanhados por um representante da Funai e do Ministério da Saúde, que também costumam ser nossos tradutores, pois alguns indígenas, sobretudo os mais velhos, costumam não falar português”.

 

Esta é a terceira participação do aluno Marlon Brendo Benigno na Jornada de Iniciação Científica do Ceulp/Ulbra. Sobre sua participação, o acadêmico conclui: “[A Jornada] é interessante e diferente em relação a outros eventos dos quais participei, onde meus trabalhos, normalmente, são avaliados apenas por cirurgiões dentistas. Aqui, precisamos apresentar para pessoas de outras áreas do conhecimento, como biomédicos, farmacêuticos e outros, o que se torna um desafio interessante pois precisamos de muita clareza em nossa explicação”.

Selo da responsabilidade social
CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS
Avenida Teotônio Segurado 1501 Sul Palmas - TO CEP 77.019-900 Caixa Postal nº 85
Fone: (63) 3219 8000