Autor(es): GEORGIA DA SILVA LIMA

Palavras-chave: Arquitetura inclusiva. Inclusão social. Desenho universal. Acessibilidade. Autonomia.

Defendido/Publicado em: 2020-12-14

Orientador(a): Fernanda Brito de Abreu

Curso: Arquitetura e Urbanismo


Este trabalho de pesquisa aborda a temática de arquitetura inclusiva por meio do desenvolvimento projetual de um Instituto multidisciplinar para crianças e adolescentes com deficiências e transtornos do neurodesenvolvimento, com intuito de oferecer atendimento e promover, inclusão social e qualificação para uma inserção no mercado de trabalho em Palmas-TO. Com base em estudos do IBGE (2010) cerca de 24% da população brasileira tem algum tipo de deficiência de ordem, física, mental, intelectual e sensorial; No Tocantins de acordo com um levantamento do IBGE (2010), aproximadamente 20,5% tocantinenses possui algum tipo de dificuldade ou deficiência. Vale lembrar que o cotidiano das pessoas é envolto pela arquitetura e urbanismo, o que mostra uma grande importância em se ter ambientes e espaços totalmente adequados a qualquer usuário. Deste modo, o profissional arquiteto e urbanista desempenha um papel fundamental na promoção de inclusão das pessoas, podendo contribuir significativamente para o seu bem-estar, ou ainda para a exclusão, devido à existência de barreiras que não foram solucionadas na concepção projetual. Mesmo com muitos aparatos legislativos, ainda se observa edificações que não são preparadas para garantir inclusão, apresentando apenas condições mínimas de acessibilidade, que por muitas vezes não são o suficiente para que a pessoa se sinta incluída e confortável no espaço edificado e urbano. Além do direito a ambientes acessíveis, pessoas com deficiência possuem cotas para inserção no mercado de trabalho, no que lhe concerne, na cidade de Palmas, através da aplicação de questionários, pôde-se identificar que ainda não existe um órgão responsável para auxiliar nesta qualificação. Neste contexto, esta pesquisa se justifica pela intenção em disseminar a necessidade da inclusão, sob diversas vertentes por meio da concepção de um anteprojeto de uma edificação, à luz do desenho universal, salientando a relevância em se criar ambientes que oferecem qualidade de vida, autonomia e respeitando as diferenças. Assim através de análises de estudo de casos, levantamentos bibliográficos, além de questionários aplicados para conhecimento prático e vivências das pessoas, foi desenvolvido a proposta do anteprojeto arquitetônico do edifício de uso educacional com enfoque na acessibilidade, de maneira a contribuir com a inclusão, autonomia e qualidade de vida de todos os usuários.


Como citar

LIMA, G. S. ARQUITETURA INCLUSIVA - INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR JOSÉ GUILHERME. 2020. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo). Centro Universitário Luterano de Palmas, Palmas, Tocantins, 2020. Disponível em: <http://ulbra-to.br/bibliotecadigital/publico/home/documento/1734>. Acesso em: 01 jul. 2022

Banca (avaliadores)

  • Fernanda Brito de Abreu (Presidente)
  • Camila de Queiroz Pimentel Lopes

Arquivos (download)