Autor(es): RAUL VILARES DA SILVA

Palavras-chave: Hemoglobinopatias, Eletroforese, Anemia

Defendido/Publicado em: 2015-12-04

Orientador(a): Luis Fernando Castagnino Sesti

Curso: Biomedicina


A anemia é uma alteração hematológica caracterizada pela dosagem de hemoglobina abaixo da faixa de referência para a idade e sexo do indivíduo. Várias são as etiologias de uma anemia, dentre elas, as alterações genéticas que culminam na modificação da estrutura ou produção da hemoglobina. As consequências variam conforme a quantidade de genes afetados e o tipo de modificação, podendo ser desde assintomática (como no traço falciforme, fenótipo AS) até causar anemia intensa e outros processos patológicos que afetam significativamente a qualidade de vida de seus portadores (como na doença falciforme, fenótipo SS). Mesmo os portadores da forma silenciosa podem ser afetados indiretamente, pois seus descendentes podem herdar essas alterações dos pais e desenvolver a forma patológica, sendo assim importante saberem se são portadores de alguma hemoglobina ou gene alterado. Nesse intuito, este estudo procurou identificar a presença de alterações fenotípicas da hemoglobina em pacientes anêmicos que fizeram parte da rotina de 2 laboratórios no município de Palmas-TO. Para isso, primeiramente implantou-se a técnica de eletroforese de hemoglobina no LUAC e, posteriormente, coletou-se alíquotas de sangue total desses pacientes e foram realizados exames de hemograma e eletroforese de hemoglobina. Dessas análises, constatou-se uma prevalência de hemoglobinas alteradas de 15,9%, sendo a Beta Talassemia a alteração da hemoglobina mais prevalente, com 10,6% dos casos, seguida a hemoglobina S em heterozigose, compondo 5,3% dos casos. A população estudada era composta principalmente por mulheres (82,2%) com idades variadas. 89% dos casos eram de anemia discreta, 58% do tipo Normocítica e Normocrômica e sem alterações na microscopia do esfregaço sanguíneo. As principais alterações do hemograma foram encontradas nos pacientes talassêmicos e pacientes portadores de anemia moderada. Como era esperado, a maioria dos pacientes apresentou perfil eletroforético normal, sendo possível correlacionar os casos de beta talassemia menor como causa de anemia, utilizando não somente a eletroforese de hemoglobina, mas as alterações do hemograma também como fatores complementares. Porém, a mesma relação não foi estabelecida com a hemoglobina variante S em heterozigose, de forma que ela não foi responsável pelo caso de anemia na pessoa em que fora identificada.


Como citar

SILVA, R. V. ANÁLISE DO PERFIL ELETROFORÉTICO DE HEMOGLOBINA EM AMOSTRAS DE PACIENTES ANÊMICOS NO MUNICÍPIO DE PALMAS-TO. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Biomedicina). Centro Universitário Luterano de Palmas, Palmas, Tocantins, 2015. Disponível em: <http://ulbra-to.br/bibliotecadigital/publico/home/documento/269>. Acesso em: 20 out. 2018

Banca (avaliadores)

  • Divino José Otaviano (Presidente)
  • Marcos Rodrigues Cintra (Presidente)

Arquivos (download)