Parque estadual do Cantão
Home > Lagos do PEC

Lagos do PEC

As águas que escoam pelo Parque Estadual do Cantão - PEC são provenientes principalmente da bacia do Rio Javaés, o qual forma a maior parte da área de influência indireta do PEC. As águas interiores do Cantão correspondem a área total de 8.148 hectares, incluindo 843 lagos e 156 Km de furos e canais navegáveis. Todo o restante do médio Araguaia tem aproximadamente 200 lagos de meandro abandonado, ilustrando a importância desproporcional do Cantão para o ecossistema desse grande rio. Os lagos de meandro abandonado são locais de reprodução para muitas espécies de peixes, e por concentrar 80% dos lagos da região o Cantão é conhecido como o "berçário do Araguaia". Devido ao grande número de lagos e canais, o Cantão funciona como área de reprodução e criação dos peixes do médio Araguaia, representando, portanto, uma importância crítica para a economia regional. Uma parte importante da ictiofauna é migratória e, parece provável que durante a cheia, peixes ovados do Araguaia migram para o Cantão em grandes cardumes para alimentar-se nas florestas inundadas. Essa migração é de muita importância para o ecossistema do Cantão já que é a base da cadeia trófica e resulta em uma importação anual de nutrientes. A composição da ictiofauna dos canais entre as ilhas do Rio Araguaia é diferente das águas do interior do Parque. Durante a seca, os peixes se concentram nos lagos isolados.As águas do Cantão fluem, de modo geral, do Rio Javaés para o Rio do Coco, e desembocam no Araguaia no porto da balsa de Caseara. Não obstante, as águas do Javaés não misturam-se de imediato com as águas barrentas do Araguaia, porém seguem fluindo pela margem direita do Araguaia.No período de enchentes, outubro até abril ou maio, quando quase toda a precipitação de 2000 milímetros do Cantão cai sob a forma de chuvas torrenciais, o Rio Javaés inunda seu delta com águas de coloração escura com poucos sedimentos, deixando secas apenas os chamados torrões, as terras mais elevadas. Devido a esse feito diferença entre lagos, furos e canais, em termos ecológicos, praticamente não existe já que, durante um período de 2 a 6 meses das cheias, todos esses corpos de água se interconectam. Então é possível cruzar o Cantão navegando entre lagos através de uma série de lagoas conectadas por canais menores chamados "esgotos". Na seca, de junho a setembro, o nível da água normalmente baixa de 5 a 7 metros. Os lagos ficam isolados e secam os varjões, os esgotos e a maior parte dos furos e canais fica interrompida em vários locais por bancos de areia, transformando-se em cadeias de lagos isolados. O Rio Javaezinho, de 21 Km de comprimento é o único furo que não se fecha na seca. Com seus inúmeros lagos e canais, não existe no médio Araguaia outra região comparável ao Cantão.  A degradação desse sistema resultaria no empobrecimento do ecossistema do parque e não é uma ameaça remota.  A Ilha do Bananal já perdeu a maior parte de seus lagos, e a pesca já entrou em processo de colapso nas regiões de maior concentração populacional.  A contenção e reversão desse processo é prioridade absoluta para o manejo do ecossistema do Cantão.

 

Veja mais fotos:

tempo agora

Caseara - TO
Qui 09/12 32ºC / 23ºC
Encoberto com Chuvas Isoladas Céu totalmente encoberto com chuvas em algumas regiões, sem aberturas de sol.
www.cptec.inpe.br

você sabia?

As sementes de sucupira (Pterodom emarginatus) são indicadas para tratamento de dores reumáticas...